• Carlos MSilva

Klopp e as suas Técnicas de Comunicação e Liderança

Atualizado: 26 de Nov de 2019

Coach,

Hoje vou partilhar contigo uma ANÁLISE completa de uma das Frases que Klopp usou para este jogo.


Vou falar que a liderança está ligada à tática e porque algumas metodologia de treino são incoerentes porque não incluem a liderança como parte do processo de periodização.


Vamos ver?

Não vi em directo o que aconteceu no jogo de Liverpool x Barcelona.

Mas gostava de partihar uma frase de Klopp que caracteriza o resultado final.

Disse aos jogadores:

"penso ser impossível, mas sendo vocês...

acredito que é possivel!"


Jürgen Klopp

Para além da táctica e técnica de futebol que teve de ser praticado, é interessante verificar o que se passa por detrás do comportamento de RESILIÊNCIA que ajudou os atletas do Liverpool a manter-se constantes na atitude enquanto aplicavam a táctica e a técnica para dar a volta a um resultado de 3-0 contra o Barcelona.

Se virmos do lado contrário, na DISPLICÊNCIA  da parte dos atletas do Barcelona entendemos que por muito que se saiba como jogar tacticamente ou tecnicamente, o que suporta estas acções são as emoções (por detrás) que te permitem estar disponível (para aplicar a táctica) ou não durante o jogo.

Quais as emoções atrás da DISPLICÊNCIA e da RESILIÊNCIA?

Sei hoje através da Periodização Situacional como gerir taticamente essas emoções. Um módulo que aprendi no Programa Profissão  Treinador. E um dos segredos está contido nesta frase de Klopp e que vou explicar agora a seguir.

Mas também não quero que se caia no erro de pensar que é apenas assim, até porque esta técnica de inteligência emocional que vou partilhar é de preparação para a posterior aplicação táctica durante a semana de treinos.

Klopp pode tê-lo feito inconsciente disto ou não, e isso é algo que só falando diretamente com ele é que podemos saber.

Dentro do discurso pode ter havido muito mais mas esta poderá ser a Big Ideia que se transforma e se desenvolve nas restantes ideias envolventes no discurso. Como se se tratasse de um mapa mental.

Qual o estado emocional de alguém ou de uma equipa que leva 3-0 em Barcelona?


Sabendo que é uma eliminatória?

Este é o ponto de partida para saber o que dizer. Talvez amarrotado? Talvez a sensação de possibilidade matemática mas com a ideia generalizada de que a tarefa de dar a volta é superior aquilo que se pode fazer em campo.

1. Quando Klopp diz:

"penso ser impossível",

Klopp ganha diretamente a empatia (negativa*) do pensamento mais céctico dos jogadores sejam eles mais emocionais ou mais racionais.


Um à parte:

*empatia negativa é a empatia que se gera com estados emocionais negativos similares, isto é: se encontrar um amigo triste na rua e lhe começar a falar que a vida é sensacional, crias um atrito entre emoções. A empatia poderia ser criada se ambos estivessem em estados de entusiasmo, ou pode ser criada, se neste caso, entrares numa conversa com o mesmo estado emocional negativo igual ao teu amigo para criares uma empatia inicial, mas em estado negativo. No caso de Klopp ele fê-lo com a ideia de ser impossível.


Klopp está assim a fazer uma comunicação para o inconsciente deles.


2. A seguir usa a expressão

"MAS"

O "mas" não deve ser utilizado numa frase em que queremos dar um feedback deste género:  "és bom mas falhaste esse passe" porque o que o "MAS" faz é: apagar o que disseste antes ("és bom")

e atrai a atenção do atleta para o que vem a seguir: ("falhaste o passe").


Só que neste caso o que vemos é o exemplo contrário.

O "MAS" está a ser usado para apagar o negativo que vem antes e que ajudou o treinador a criar empatia pela negativa: "penso ser impossível MAS..." logo o centro da atração da frase irá ser direccionado para o resto da frase:


3. Novo Contexto:

"mas sendo vocês"...

O "sendo vocês" insere-se na frase como um novo contexto à impossibilidade de que se estava a falar.


Aqui encontra-se um técnica que se chama reframing que é dar um novo contexto para o problema em questão.


Essa técnica é muito utilizada por Mourinho nos seus MINDGAMES com adversário e que aqui neste exemplo de Klopp foi usado para potenciar estados de recursos inconscientes dos atletas.


Um exemplo de dar um novo contexto ao problema foi utilizado por Mourinho quando ao fim de perder 2 ou 3 jogos lhe perguntaram se estava a sentir pressão. E ele usou esta mesma técnica de reframing para direccionar a pressão para outro contexto dizendo: "pressão é não ter comida para dar aos filhos".


Klopp usou então a expressão "sendo vocês" como mudança do contexto onde a impossibilidade perdia o seu valor céptico.


4. Terminando a frase com uma ordem e um comando para o inconsciente dos atletas ao qual se pode chamar sugestão direta:

"acredito que é possível".


Por detrás do acreditar do treinador nas capacidades dos seus atletas está uma relação pessoal de influência de alguém de fora que nos diz que acredita em nós.


E isso é uma forma de criar pressão à nossa confiança pessoal.


Quantos de nós temos alguém que nos meta a mão no ombro e nos diga: acredito em ti.

A nossa confiança dispararia mais ...vezes.


Quando isso acontece mesmo que agente não acredite na nossa capacidade de resolver a tarefa, e neste caso a tarefa seria virar um resultado de 3-0 com o Barcelona, algo em nós colocaria a dúvida sobre a dúvida que temos sobre nós e um novo flash de querer corresponder às expectativas dessa pessoa (que tudo faz por nós) se acenderia.

"Acredito que é possível" traduz-se no estado de crença e fé que liberta uma emoção de confiança e gera um comportamento de RESILIÊNCIA que permite aos atletas colocarem em prática a táctico e estratégia para o jogo com todos os recursos ativados.


Sem isto, por muito que o treinador treinasse modelos de jogo e princípios através do modelo de treino com orientações da Periodização Táctica ou outra qualquer isso não funcionaria.


E ainda existe quem não saiba que é possível trabalhar a sua liderança e a sua comunicação, 2 pilares da optimização do treinador no Programa Profissão Treinador. Também ainda há quem não conheça novos modelos de periodização onde a liderança do treinador não é tida em conta na periodização do treino porque o núcleo central é o físico ou o táctico ou o estratégico e não tem em conta o treino da emoção por detrás da RESILIÊNCIA ou da DISPLICÊNCIA.


Acredito que tanto o BARCELONA como o AJAX hoje estariam dispostos a pagar 10 milhões

dos mais de 50 milhões que perderam ao perderem o jogo, para aprender o que hoje eu ensino no Programa Profissão Treinador com a Periodização Situacional » saber mais «


Então leva-me a crer que o valor do programa é irrisório para os resultados financeiros e emocionais que estas e outras equipas poderiam ter se aplicassem os princípios que ensino dentro do curso.

(como o Porto a empatar a 5 minutos do fim como Rio Ave e a criar os estados emocionais de ansiedade e conflito que se devem estar a gerar dentro da equipa)

Então deixo aqui uma reflexão sobre 4 técnicas usadas numa única frase de Klopp que lhe deu o acesso

à final da champions

ao eliminar o Barcelona por 4-0 depois de ter perdido 3-0 no 1º jogo.


Resumo-Síntese:

  1. Empatia negativa.

  2. MAS.

  3. Reframing.

  4. Crença.


Espero que possas aprender e obter um bom trabalho nas tuas práticas.

Um Abraço Carlos MSilva.


Entrar na nossa lista de conteúdos VIP?

» entrar e receber no email «


 ​© 2007-2020 by Carlos MSilva | 10 Anos de Treino | Formações | Coaching | Experiência Prática. All rights reserved.

ccmset@gmail.com | http://treinadorpro.com | Estoril-Lisboa | Portugal