• Carlos MSilva

Liderar Equipas Desportivas em Tempos de Quarentena



Como Liderar a sua Equipa, isto é, conjunto de atletas, à Distância, mantendo 98% de aplicação de todo o plantel nas actividades realizadas?


Neste post vamos introduzir alguns conceitos emocionais e mentais a incluir nas tarefas enquanto treinador, para conseguir "movimentar" os seus atletas para as tarefas à distância em momentos de Quarentena.


Um dos conceitos mais importantes por detrás das técnicas que vamos aqui partilhar é o de INTERRUPTOR MENTAL.


Para entender este conceito será necessário imaginar um interruptor com o qual pode tocar a uma campainha ou acender ou apagar uma luz em sua casa. É preciso tocar nele para ele ser activado.


Neste caso, o que pretendemos é uma acção por parte dos atletas para que façam as tarefas que lhes enviamos para que consigam manter a forma ou pelo menos manterem-se activos. E isto gerando um elevado nível de compromisso da parte deles.


Os interruptores mentais foram inventados pelo psicólogo Robert Cialdini. No livro Armas da Persuasão, ele explica um conjunto de ideias que activam a parte emocional das pessoas quando precisam de entrar em ação, deixando de racionalizar (perdidas no seu pensamento).


Foi nestes conceitos que comecei a entender que existem armas que podemos utilizar na nossa comunicação e na nossa estrutura de trabalho como treinadores.

A partir daí, CRIEI o conceito de INTERRUPTORES MENTAIS e como utilizá-los nas tarefas que criamos no treino ou no microciclo, de forma a ativar a parte emocional, ou digamos, a parte que entra em acção nos nossos atletas, para que façam mais facilmente aquilo que pretendemos o mais rapidamente possível.


A isto chamo de técnicas de persuasão para os atletas aplicarem as nossas tácticas.




Antes de continuar, junta-te ao nosso CANAL DO TELEGRAM, onde coloco todos os dias informações e conteúdos para treinadores de forma totalmente gratuita: Tem acesso ao Canal TreinadorPRO com » um clique aqui «



De seguida, o Treinador Telmo Rodrigues, que trabalhou comigo estes conceitos, foi desafiado a escrever um artigo.


De referir que juntos trabalhamos durante as 2 últimas épocas e que o Treinador Telmo Rodrigues foi invicto no escalão sub18 e no escalão sub20 do Sporting Clube de Portugal, fazendo destes INTERRUPTORES MENTAIS (IM), uma arma na sua LIDERANÇA e na sua COMUNICAÇÃO.


Neste artigo ele irá demonstrar como conseguiu 98% (se não mais) dos seus atletas a fazer as tarefas que ele desenhou durante esta quarentena, mesmo estando à distância (98% do plantel porque existe sempre um ou outro atleta que pode estar lesionado).


Mas talvez isto possa parecer normal para uma equipa profissional, mas a verdade é que estamos a falar numa modalidade amadora (pólo-aquático), no último escalão (sub18), em que os atletas para o ano provavelmente irão para a faculdade ou deixarão de realizar a modalidade, fora todos os comportamentos de desvio associados à adolescência.


O Compromisso é algo que tem de acontecer para que estes atletas mesmo tendo inúmeras situações que os desvie, se mantenham interessados em cumprir com disciplina o que lhes foi solicitado.



Liderar Equipas em Tempos de Quarentena


palavras-chave:

  • Comunicação entre a equipa (Treinador <-> Atletas <-> Atletas);

  • União e cooperação entre a equipa;

  • O espírito de competição entre atletas;

  • Rotinas de exercício físico;

  • Maximizar a mutualidade da equipa.


Verificando os pontos apresentados acima, a ideia será criar desafios em vídeos curtos que não exijam muito tempo aos atletas em realizá-los e gravá-los (IM Simplicidade).


Dependendo das idades, possivelmente terão o tempo preenchido com tarefas escolares ou de outro tipo.

Ao mesmo tempo, os vídeos curtos também têm a vantagem de serem fáceis de partilhar, não ocupando muito espaço (vídeos entre 30’’ a 2 minutos).


Deste modo o(s) Treinador(es) também conseguirão verificar/avaliar os vídeos de uma forma sucinta.


Ao lançar-se o desafio, será sempre mais interessante e motivador para os Atletas verem o Treinador realizando também o desafio, tendo ainda a vantagem de ser de melhor compreensão, para quem vê a explicação do exercício, através de um vídeo/imagens em vez de texto.


Sabendo que esta situação de Pandemia poderá levar meses, não há necessidade de acelerar a competição, onde os atletas têm de ter espaço para o seu dia-a-dia.


No entanto, é importante impor um limite temporal para criar dinâmica, ritmo e propósito nos “campeonatos”. Assim, a ideia passará por criar prazos de entrega dos vídeos (IM Urgência) com uma certa tolerância de dias (3, 4, 5, o que for mais adequado).


Os atletas mostram os desafios feitos em vídeo, para o treinador verificar e avaliar e também para haver interacção com os restantes colegas de equipa. De outro, modo toda a ideia estaria desvirtuada e poderia não se perpetuar no tempo, sendo, então, a partilha de vídeos, a base.


Com o passar das semanas e dos desafios, poderá instalar-se uma certa rotina monótona. Portanto, será importante haver quebras no assunto, deixando passar uns dias sem desafios, dando espaço para se falar de outros assuntos.


Timing: manter o contacto/comunicação com a equipa desde o primeiro dia da quarentena através de temas vários ou concretos da equipa e da situação presente. Será mais natural, depois, de introduzir os desafios, não tendo havido uma quebra temporal de comunicação, que podem ser de dias (IM Comunidade).

Exercícios relacionados com a modalidade que praticam, onde alguns podem ser exercícios que já se praticavam nos treinos de forma regular, mas agora em forma de desafio e num curto espaço de tempo.

Outros desafios das demais redes sociais que se tornam “virais”, como o de dar toques num papel-higiénico, etc, acabam por desvirtuar a noção de equipa como sistema fechado, sugerindo que “qualquer coisa serve”.


Se algum dos atletas não realizar o desafio, perceber junto dele a razão (doença, lesão, problemas ou condições de gravação, etc) e encaminhá-lo para a melhor decisão, nunca o excluindo dos próximos desafios, apesar de não pontuar neste. Não desistir de nenhum Atleta.


Apesar de os desafios serem de carácter simples, incluindo material, alguns atletas poderão não ter o material correcto. A solução passará por deixá-los realizar o desafio com pequenas alterações, mantendo a dificuldade, onde os treinadores podem ainda premiar a originalidade.


Criar um sistema de pontuação e classificações, mantendo a cooperação e competitividade.


A equipa/plantel pode ser separada em pequenos grupos ou equipas formando um campeonato entre elas, ou uma classificação de todos contra todos.

Uma outra solução, possivelmente a mais completa, será criar ambas: uma classificação individual de todos contra todos, divulgando apenas esta classificação no fim do “campeonato”.

E uma classificação por equipas, divulgando-a de “x em x dias” actualizando o campeonato para que todo percebam a direcção do campeonato.


A cada actualização das classificações ou de um desafio, relembrar que no final se divulgará a classificação individual, introduzindo também que género de desafio será o próximo (IM Antecipação).


O sistema de pontuação será criado sempre com o intuito de motivar e criar justiça entre todos.


Exemplos: equipa que conseguir mais repetições ganha “x” pontos, segunda melhor “x pontos -1”; equipa com melhor execução técnica “x” pontos extra; originalidade “x pontos”; equipa a enviar os vídeos em primeiro “x pontos” extra, etc.


Estes desafios têm o propósito acima explicado, não substituindo os treinos e o respectivo planeamento, podendo sim, ser incluídos.


No final do “campeonato”, que poderá ser definido conforme cada realidade ou com o desenrolar da situação da pandemia, poderá haver um “final oculto” coincidindo com os valores trabalhados durante a época(s).


Ficando esta parte cingida ao critério de cada Treinador.


Pontos-chave:

· Facilidade de realizar e gravar (por parte dos Atletas) - IM Simplicidade;


· Facilidade em avaliar (por parte dos Treinadores);


· Timing (não haver quebras temporais e se houver, têm de ser planeadas) - IM Comunidade;


· Treinador(es) realizarem também os desafios;


· Criar prazo de entrega dos vídeos - IM Urgência;


· Exercícios relacionados com a modalidade;


· Não desistir de nenhum Atleta;


· Criar um sistema de pontuação e classificações; IM Competição


· Explicando o desafio presente e divulgando o próximo IM Antecipação;


· Fomentar a cooperação e competição, motivar e premiar novas ideias;


Neste artigo, teve acesso ao conceito de INTERRUPTORES MENTAIS.


Quando tiver interesse em aprofundar estes conceitos e de como implementar na sua comunicação, poderá assistir ao Curso Online:


Persuasão para Ganhar - O Cérebro dos Atletas na Mão do Treinador para Aplicar as Suas Táticas.

para isso, basta clicar aqui e ver quais os conteúdos incluídos.



Obrigado pelo seu interesse. Um abraço e boas aplicações.